Capítulo IX

– Larga ela, seu vagabundo. 

Disse Santana, vigia noturno do estacionamento. Kathe sempre foi tímida, mas muito educada, cumprimentava todas as pessoas e tinha uma boa relação com Santana, que uma vez a viu chorando por causa de Beto e lhe disse palavras muito bonitas, na época. 

Santana era alto, corpulento e careca. Beto caiu no chão e ainda tentou falar algo, mas Santana alertou:

– É melhor você ir embora agora, antes que eu chame a polícia.

Beto se foi e Kathe, aliviada, agradeceu ao amigo e ele a acompanhou até o ônibus chegar.

– Vai com Deus e cuidado, filha.

– Obrigada, Santana. Você foi um anjo. Até amanhã.

No caminho, Kathe estava assustada, resolveu ligar para Lea e pediu para a amiga esperá-la no ponto. Lea atendeu o pedido e as duas voltaram jutas para casa, como nos velhos tempos. 

.

.

.

Luciano e Kathe conversavam antes das aulas e estavam se conhecendo melhor a cada dia. Luciano sempre a chamava para programas “neutros”, mas dessa vez a chamou para jantar no sábado para comemorar o fim do semestre. Kathe aceitou e, ansiosa, começou a pensar nos preparativos. No dia, tomou um banho bem relaxante com sabonete de erva-doce, lavou bem os cabelos e aproveitou para fazer uma hidratação para deixá-los macios. Usou um hidratante de agradável perfume e foi ao armário separar sua roupa. Colocou um vestido preto, levemente rodado e que marcava a sua cintura. Calçou um sapato lindo, era um scarpin vermelho queimado de veludo, que a deixava com a postura linda. Fez uma maquiagem bem bonita: olhos com bastante máscara, blush levemente rosado e batom vermelho. Optou por deixar os cabelos soltos. Estava linda, se achava linda e em paz. Pediu ao Universo que tudo desse certo e muita proteção. Lembrou de Beto e seu estômago embrulhou. Começou a ficar incomodada e desviou seus pensamentos, começou a pensar em outras coisas.

Seu celular começou a tocar, era Luciano avisando que já estava na porta esperando por ela. Kathe desceu e se olhou no espelho mais uma vez, estava linda.

Os olhos de Luciano brilharam quando ele viu Kathe. Ele também estava bem arrumado, perfumado, camisa polo branca, calça jeans e sapatênis. Estava com os cabelos meio úmidos, com um pouco de gel, um sorriso largo e um agradável hálito de creme dental.

Kathe entrou no carro e durante o trajeto, tiveram uma divertida conversa. 

Como vai ser esse encontro, hein? Será que Beto vai aparecer? 

Cursos em áudio:

1) “Postura após término de namoro”(r$ 10,70)

2) “Aprendendo a ter ‘sorte’ no amor” (r$ 7,10)

3) “A importância da energia” (r$ 9)

Consultorias personalizadas, mandar email para: dominarumhomem@gmail.com

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Uncategorized. ligação permanente.

Uma resposta a Capítulo IX

  1. Maria Ayla diz:

    Acho tão legal o começo quando duas pessoas estão se conhecendo. Apesar que nunca tive um encontro igual o da Kate. E meus ‘namoros’ nem foram dignos pra ser chamado de namoro. Hoje tenho medo de deixar alguém se aproximar por mais que as pessoas sejam diferentes. Quando puder fazer um texto ou video sobre esse medo acho que muita gente vai gostar. Esse encontro de Kate tá parecendo de filme. Chato é quando perdemos a linha e fica perto do término. Num momento tudo é mágico mas é raro durar. E os que são de longo tempo… Estão sendo empurrados com a barriga.

Fala que eu te escuto!

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s