Capítulo II

Beto era um rapaz simples, cabelo liso, altura mediana e magro. Ele era o mais novo de 3 irmãos e sempre gostou de beber. Bebia porque queria chamar atenção dos irmãos e ser considerado “maduro” por eles. Quando conheceu Kathe, Beto frequentava as aulas, mas não estava muito animado. Começaram a conversar e ele viu em Kathe um incentivo para os estudos, ela assistia a todas as aulas, estudava a tarde toda e aos sábados, enquanto ele passava as tardes dormindo no sofá da sala. 

Kathe era uma moça tímida, com a autoestima muito ruim e ela não conseguia enxergar que havia vários rapazes interessados nela. Ela até que achava uns bem bonitos, mas pensava que eles nunca olhariam para ela. Beto era “feinho” e ela, sem nenhum interesse, começou a ficar amiga dele. Conversavam sobre as matérias e Kathe percebeu que Beto não tinha muita bagagem de estudos, os conhecimentos dele eram bem rasos e ela resolveu ajudar. Apesar do orgulho, Beto aceitou e das tardes de estudo um sentimento começou a aparecer.

Saíam aos finais de semana e Antônia, observando o empenho nos estudos da filha, aceitou esse namoro. Os dois começaram a namorar e Kathe foi ganhando autoconfiança. Ela já era sempre a primeira colocada nos testes que o cursinho fazia. Beto ia bem também, mas não se comparava ao desempenho da namorada. 

Lea estava bem envolvida com a universidade e conversava com a amiga aos finais de semana. Kathe apresentou o namorado a amiga, mas os dois não gostaram um do outro, foi recíproco. Kathe sabia que Beto era possessivo, mas ela não via isso como defeito, via como um excesso de amor, de cuidado e acabou aceitando sair menos com a amiga.

Lea não era boba e sabia que Beto fazia várias chantagens emocionais para que as duas se distanciassem aos poucos. Mas isso não aconteceu. 

Os pais de Beto tiveram o primeiro filho muito jovens e acabaram se separando quando Beto era pequeno. Sua mãe havia engravidado mais três vezes, na esperança de “segurar” o marido. Seu pai e sua mãe tinham brigas horríveis, barracos e escândalos que a vizinhança toda comentava no dia seguinte. O ciúme de Beto, misturado com a inveja de que ele sentia da namorada, fazia com que eles discutissem muito. No início eram discussões, depois de uns meses, xingamentos e depois de mais um tempo: empurrões. Arranhões, beliscões, choro, muito choro… mas Kathe tinha vergonha de dizer isso a Lea porque a melhor amiga, certamente, falaria para ele terminar o namoro. Mas Kathe não queria terminar, ela tinha medo de ficar sozinha, ela tinha medo de ter que conviver com a mãe o tempo todo. Aquele namoro era a sua fuga de casa. Aquela droga de namoro era o que permitia Lea sair e respirar.

As brigas continuavam mais intensas e toda vez que eles brigavam, Kathe ia atrás de Beto e pedia desculpas. Mais brigas, puxões de cabelo, socos no estômago e tapa na cara. Kathe sentiu seu mundo desmoronar depois de sentir a ardência e a vermelhidão na sua pele fina e clara. Pensou em terminar, mas ela não conseguia. Ela preferia ser espancada do que ficar sozinha. Como assim? Eles já eram vistos como casal do cursinho e um término geraria muita fofoca… e se Beto arrumasse outra? E se Beto começasse a namorar com alguém do cursinho. E se ela ficasse sozinha? E o que ela faria aos sábados à noite. Ficaria com a mãe em casa? Não… seria melhor perdoar mais uma vez…
E você? O que você faria no lugar de Kathe? Você já ouviu alguma história parecida com essa?

Cursos em áudio:

1) “Postura após término de namoro”(r$ 10,70)

2) “Aprendendo a ter ‘sorte’ no amor” (r$ 7,10)

3) “A importância da energia” (r$ 9)

Consultorias personalizadas, mandar email para: dominarumhomem@gmail.com 

Publicado em Uncategorized | Publicar um comentário

Capítulo I

Meninas! Mais uma história que vai ajudar vocês a entender todo o processo da importância da autoestima e da qualidade da energia nas nossas vidas. Espero que vocês gostem!
Kathe era uma moça tímida, cabelos cheios e pele clara. Antônia, sua mãe, era uma senhora sofrida, com o casamento acabado e muito enérgica com a filha. Amargurada pelos acontecimentos da vida, descontava as suas frustrações na moça. Kathe era cheia de vida, havia terminado a escola e tentava entrar em uma universidade. Com a rotina de estudos bem puxada e com uma mãe que a proibia de tudo, nunca tinha namorado sério. 

Kathe iniciou um cursinho preparatório para o vestibular e um mundo novo se abria para ela. Pessoas novas com o mesmo objetivo: passar no vestibular. Seu primeiro dia de aula foi um misto de frio na barriga e curiosidade. No caminho para o cursinho pensava que estudaria muito para conseguir passar, mas uma onda de tristeza também estava presente. Sua relação com a mãe não era boa, as condições financeiras da família estavam bem difíceis e ela precisava deixar essas preocupações de lado para conseguir se concentrar nas aulas. 

A mãe era muito complexada por não ter completado os estudos e ter uma filha na universidade era uma maneira de mostrar à família e às amigas de que ela era capaz. 

A melhor amiga de Kathe, Lea, era sua amiga desde a época do colégio. Lea já estava na universidade e conseguiu entrar logo na primeira tentativa, o que causou uma grande briga entre Antonia e a filha.

– Você não passou, né?

 – Não…

– E a Léa?

– Passou sim!

– Nossa, a Lea é inteligente… estudiosa, esforçada. Não é uma vagabunda e preguiçosa como você! Bem feito que você não passou, você não estudou e não se esforçou o suficiente. A Lea sempre foi esforçadas e tirava boas notas, um orgulho para os pais dela. Eles devem estar tão felizes. 

Kathe já estava cansada de ser comparada aos outros. Sua mãe sempre fazia isso, desde quando ela era pequena. Comparações de quem crescia mais, de quem tinha a letra mais bonita, de quem tinha o caderno mais organizado, de quem nadava mais rápido, de quem tirava as notas mais altas…para a mãe,  ela era sempre a pior, a incapaz, a que fazia tudo com limitação e as outras sempre melhores que ela. A autoestima de Kathe estava destruída e sua mãe nunca lhe disse uma palavra que pudesse ajudar.

O cursinho que Kathe frequentava era para alunos de baixa renda. Ela havia tentado uma bolsa de estudos no melhor cursinho da cidade, mas não conseguiu alcançar a pontuação. Um dia antes da prova, ela ligou para Lea e as duas começaram a conversar sobre a prova e a mãe de Lea, Isabel, escutou parte da conversa e disse da cozinha:

– Ah, a Kathe vai fazer aquela prova para conseguir a bolsa? Faz a prova pra ela, Lea!

Kathe escutou aquilo e seus olhos encheram de lágrimas. Por que a vida era assim tão injusta com ela? Até aquela ignorante da Isabel tirando sarro dela? Ela sabia que sua mãe reclamava muito do seu desempenho escolar para a Isabel, que sempre muito orgulhosa das notas da filha, usava isso para se sentir superior a Antônia. E Antônia caía igual um pato.

No cursinho, Kathe estava se esforçando, era assídua e, apesar de ter que acordar às 5 horas da manhã, pegar o ônibus e atravessar a cidade para assistir às aulas, estava feliz. Ficar longe de casa, da antiga escola e das cobranças de Antônia não tinha preço. Ela conheceu outras pessoas e se descobriu uma pessoa muito melhor. Duas vezes na semana ficava estudando na sala de leitura do cursinho e seus estudos avançaram bastante. 

O cursinho, mensalmente, aplicava um simulado para que os alunos testassem seus conhecimentos e Kathe estava muito contente com os resultados. Mas evitava contar para a sua mãe com medo de escutar “não faz mais do que sua obrigação” e também não comentava com Lea, pois ela tinha medo que a amiga achasse que o nível do cursinho fosse baixo e lhe desse parabéns por pena.

Após 3 meses de aula, Kathe começou a conversar com um colega de classe, Beto. Ele demonstrou interesse e Kathe nem sabia como lidar com essa situação.

E agora? O que será que vai acontecer? Será que ela vai dispensar o rapaz ou vai dar continuidade às investidas? 
Cursos em áudio:

1) “Postura após término de namoro”(r$ 10,70)

2) “Aprendendo a ter ‘sorte’ no amor” (r$ 7,10)

3) “A importância da energia” (r$ 9)

Consultorias personalizadas, mandar email para: dominarumhomem@gmail.com

Publicado em Uncategorized | 5 Comentários

Por ele está me cozinhando?

Meninas! E quando seu ex termina com você e continua te dando esperanças? Liga, manda mensagem, quer saber da sua rotina, se você está saindo… O que significa quando ele diz que vocês terminaram, mas ainda te ama e que no futuro vocês podem voltar…

Isso é uma das piores atitudes que um homem covarde pode ter com uma mulher. Termina, não quer mais nada com ela e ainda não deixa que a mulher siga em frente e arrume outra pessoa para ser feliz. Ele vai te cozinhar porque é egoista e não quer que você se relacione com outras pessoas. Isso não é amor, nunca vai ser. É maldade pura. Sabe por quê? Porque ele vai sair, vai beijar muitas na boca, vai namorar outra e você vai ficar esperando, esperando e esperando. 

Leitoras lindas, não percam o precioso tempo de vocês com um homem que termina, diz que te ama, mas não quer ficar com você. É muito simples, quem ama quer ficar junto, não importa a distância, o trabalho, os compromissos… Homem quando quer, dá um jeito. Homem acaba com o casamento, abandona tudo quando quer estar com outra. Se ele não deu um jeito, é simples: ele não te ama tanto assim.

Aproveite para saber aqui como desapegar do ex e o que fazer aqui se ele pediu um tempo. Não se esqueça de curtir nossa página “Me ajuda, Pri” no Facebook.

Cursos em áudio:

1) “Postura após término de namoro”(r$ 10,70)

2) “Aprendendo a ter ‘sorte’ no amor” (r$ 7,10)

3) “A importância da energia” (r$ 9)

Consultorias personalizadas, mandar email para: dominarumhomem@gmail.com

Publicado em Uncategorized | 22 Comentários

Olhos que não querem ver

Meninas! Estou há muito tempo escrevendo aqui, escutando histórias, fazendo as consultorias e já peguei uma certa prática em perceber, rapidamente, quando o homem está ou não interessado na mulher. Eu já sei quando ele está te enrolando, já percebo quando ele não quer nada, quando está querendo voltar, enfim… escrevo, respondo as perguntas no blog e as dicas são bem claras, MAS…

É uma pena que algumas não querem enxergar a realidade e tentam, o tempo todo, se enganar. Se enganam e ficam perdendo tempo porque simplesmente não aceitam que ele não quer. Ah…mas por quê, Pri? Eu sou bonita, inteligente, cozinho, lavo a roupa dele, faço tudo e isso não basta? 

Um homem quando está interessado, deixa bem claro. Ele vai estar sempre presente e você vai ter certeza de que ele gosta e está interessado em você. Se ele não te manda mensagem, some por dois, três dias, pode contar que ele não está na sua. Se vocês foram pra cama e ele não te procurou mais e ficou mais distante, ele não está interessado. Ele pode até dar algumas desculpas para não dizer claramente que não te quer mais (vai dizer que está com problemas na família, no trabalho ou nos estudos). 

Ah, aprendam aqui: os homens não gostam de dizer, com palavras, que não querem mais. Eles demonstram com atitudes. Atitudes que gritam as reais intenções deles, por isso, é preciso abrir os olhos para enxergar e ter coragem para virar a página. Veja aqui por que eles somem e aprenda aqui como desapegar do ex. Não se esqueça de curtir nossa página “Me ajuda, Pri” no Facebook.

Cursos em áudio:

1) “Postura após término de namoro”(r$ 10,70)

2) “Aprendendo a ter ‘sorte’ no amor” (r$ 7,10)

3) “A importância da energia” (r$ 9)

Consultorias personalizadas, mandar email para: dominarumhomem@gmail.com

Publicado em Uncategorized | Publicar um comentário

Gelo funciona sempre?

Meninas! Tenho lido algumas interpretações bem erradas da “técnica do gelo” e isso pode te prejudicar muito nas relações. Olha só, você acabou de conhecer uma pessoa, estão saindo, se conhecendo e é preciso demonstrar interesse sim. Não apenas no momento inicial da conquista, mas durante a relação também. 

Demonstrar interesse não significa ser pegajosa, insistente, chata e artificial. Demonstrar interesse é aceitar um convite para sair, é deixar o cara falar, é escutá-lo com atenção, é respeitar a individualidade dele e ser discreta. É elogiar quando se tem espaço, vontade e intimidade para isso. É querer e ser querida, sabe?

Demonstrar interesse é também mostrar que você não quer e não gosta de X ou Y. É ser autêntica, é ter bom senso e equilíbrio. Ter bom senso é difícil quando estamos apaixonadas, principalmente na hora de abandonar o barco. É saber enxergar quando outra pessoa entrou no barco e você está sobrando. 

O gelo é usado em situações de conflito, de término, de desaforos e brigas. Não precisa ser aplicado numa relação bonita onde há reciprocidade de interesses. Deixe fluir, a vida é curta! Aproveite e descubra aqui por que eles somem. Assista aqui o que fazer quando ele te bloqueia nas redes sociais. Não se esqueça de curtir nossa página “Me ajuda, Pri” no Facebook.

Cursos em áudio:

1) “Postura após término de namoro”(r$ 10,70)

2) “Aprendendo a ter ‘sorte’ no amor” (r$ 7,10)

3) “A importância da energia” (r$ 9)

Consultorias personalizadas, mandar email para: dominarumhomem@gmail.com

Publicado em Uncategorized | 13 Comentários

Quero meu ex de volta!

Meninas! Muitas que procuram meu blog estão passando por momentos delicados, momentos sofridos de término ou desilusão amorosa e buscam aqui alguma palavra de conforto. Além de dicas para você se sentir melhor, eu também escrevo verdades duras de encarar, mas necessárias para o nosso crescimento. 

Depois de muito observar, percebo como as mulheres estão carentes e a procura de alguém para lhes preencher “buracos” que não serão substituídos por namorados, ficantes ou maridos. Essa falta não será preenchida por outro, será preenchida por vocês mesmas. Voltar com o ex nem sempre poderá ser a “solução” do seu problema. Sabe por quê? Porque seu ex, depois de um tempo afastado, não será a mesma pessoa de antes.

Não. Ele não é mais aquele homem que você morre de saudade. Ele mudou e você nem imagina quanto. Muita coisa passou na vida dele e muitos acontecimentos mudaram o jeito que ele era. Você também mudou! Ah, e como mudou. Só de você estar aqui lendo esse post, você já está se transformando e sendo alguém diferente de ontem. 

Por isso, leitoras lindas: cuidado. Não percam muito tempo querendo algo que não existe mais. O namorado que vocês tiveram lá no passado, é outra pessoa. E, talvez, você não vá gostar do que ele é hoje. Deixe as lembranças boas ficarem na sua memória e não remexa naquilo que está quieto e não te procura. Se a porta está fechada, não force para abrir pois você poderá ter uma surpresa bem desagradável. Aproveite e veja aqui o que fazer depois de um término. Ele te bloqueou nas redes? Veja aqui alguns conselhos. Curta nossa página “Me ajuda, Pri” no Facebook e receba dicas bem legais sobre relacionamentos.

Cursos em áudio:

1) “Postura após término de namoro”(r$ 10,70)

2) “Aprendendo a ter ‘sorte’ no amor” (r$ 7,10)

3) “A importância da energia” (r$ 9)

Consultorias personalizadas, mandar email para: dominarumhomem@gmail.com

Publicado em Uncategorized | 13 Comentários

Você me deixa louco

Meninas! Quando a briga está acontecendo, muitas vezes perdemos a noção e as duas partes falam coisas que deveriam ter dito, não é mesmo? Aqui vai um alerta a você que está passando por situações como essa e não tem coragem de tomar uma decisão. 

A maioria das discussões começa com um diálogo mais pesado, cobranças, pressão, a voz se eleva, os nervos se exaltam e a respiração fica mais ofegante. Raiva. Você não consegue mais raciocinar direito e o que vem na sua cabeça são xingamentos e você grita. Os dois gritam. Ele te fala algo que te ofende muito e você perde a cabeça. Ou ele. Ou vocês dois.

Dedo na cara. Empurrão. Tapa na cara, puxão de cabelo e mais gritos. Soco. Raiva. Tristeza. Lágrimas. Fim. Sim, deveria ser o fim. Mas tem homem que volta, pede desculpas, traz flores, chocolate e até anel. Você, no começo, está firme dizendo que não. Ele foi longe demais, não posso voltar. Ele diz que você o deixa louco. Ele te ama tanto, mas tanto que ele não poderia imaginar a vida dele sem você, por isso ele te bateu. Você o deixou louco.

Leitora querida, não foi você que o deixou louco. Ele é louco. Se você voltar a se relacionar com um homem que já te agrediu uma vez, ele vai te bater outra vez e outra, outra e outra. São dois tristes finais para relações assim: 1) você será espancada frequentemente até morrer ou 2) ele vai continuar te batendo e vai te abandonar como se você fosse um papel higiênico usado. Bateu? Terminou. Acabou. Sem conversa. Não se esqueça de curtir nossa página “Me ajuda, Pri” no Facebook. E veja aqui o que fazer quando ele pede um tempo. Assista aqui e descubra por que eles somem.

Cursos em áudio:

1) “Postura após término de namoro”(r$ 10,70)

2) “Aprendendo a ter ‘sorte’ no amor” (r$ 7,10)

3) “A importância da energia” (r$ 9)

Consultorias personalizadas, mandar email para: dominarumhomem@gmail.com

Publicado em Uncategorized | 11 Comentários